sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Crónica_outubro

A minha mãe estica desajeitadamente a cabeça para fora do vidro do carro, rindo-se:
- As folhas cantam! 
E pela primeira vez, em meia hora que aqui estou à espera, ouço os sons que as ditas fazem, ao esvoaçar no chão, de um lado para o outro.
- Olha ali uma a dançar tão alegre! – acrescenta a minha mãe, observando atentamente uma que rodopiava no mesmo lugar.
"Parece-me uma dança triste", penso mas não digo nada.
Fito o meu reflexo no vidro sujo do carro. Observo como os traços do meu rosto se modificaram, como o meu cabelo cresceu tão rapidamente. Depois, observo a minha mãe pelo retrovisor: a face calma, com algumas rugas discretas, embrenhada no livro que lhe cobre as pernas. Volto a olhar para as folhas voadoras e cismo…
Quão rápido passa o tempo! Enquanto estamos na escola podemos até pensar que cada aula demora mais a passar que a outra, que nunca mais chega a hora de ir para casa. Mas se olharmos mais atentamente para o tempo, vemos que ele passa num instante. Lembro-me como foi maravilhoso o meu 8º ano, o verão de 2016 e a minha festa dos 13 anos! Se me perguntarem como foi andar de barco à vela, pela primeira vez, contarei como se tivesse sido ontem, apesar de já terem passado dois anos. 
Agora, a menos de um ano de concluir o meu percurso escolar, gostava que as horas tivessem durado mais! Mas o tempo não para e ainda agora começou o outono. As folhas já se amontoam nas bermas das estradas, já cobrem a erva nos parques, já cantam, já dançam.
Camila Gonçalves, 12º ano


Sem comentários:

Enviar um comentário

Publicação do momento